Avaliação da implementação do RTM/ LMIS em Guiné-Bissau

Compartilhe:

Em Guiné-Bissau, a abordagem Real Time Monitoring (RTM) foi introduzida para ajudar o Sistema de Saúde do país a responder aos desafios enfrentados  na  gestão de stock de suprimentos médicos nas unidades sanitárias. A avaliação visou aferir os desafios e pontos a melhorar com base no projecto piloto que está em implementação.

A falta de uma ferramenta eficaz que permite dar seguimento ao processo de gestão dos suprimentos médicos alocados às unidades sanitárias levava, muitas vezes,  a inesperadas rupturas de stock. As fichas físicas em uso, nomeadamente: fichas de stock, fichas de dispensação diária, relatório mensal e a ficha de aquisição de emergência não forneciam um sistema de alerta em tempo útil e consequentemente, o nível central não tinha um acompanhamento diário sobre a disponibilidade de suprimentos, principalmente porque os registos feitos ao nível da base eram reportados mensalmente.

O Real Time Monitoring foi visto como a solução ideal para responder às lacunas verificadas na gestão de stock por permitir um acompanhamento diário do consumo registado nas unidades sanitárias. Com o Real Time Monitoring, os dados são inseridos ao nível das unidades sanitárias com recurso a um tablet permitindo que os gestores de saúde do nível central tenham acesso a informação sobre a quantidade exacta de suprimentos médicos existentes e consumidos, bem como as unidades sanitárias que registam déficit de certos medicamentos.

A qualidade de dados é garantida através de uma regra de validação que compara o número de pacientes atendidos e a quantidade de medicamentos prescritos. O processo de validação é feito por uma comissão regional que se encarrega de confirmar a integridade dos dados para o nível central.

Esta abordagem mostrou-se compatível para a solução dos desafios enfrentados no processo de gestão de stock de suprimentos médicos. Os impactos positivos incluem: 

  • redução do tempo de reporte que passou de um mês para um dia, pois, o nível central deixou de depender dos relatórios mensais para ter acesso aos dados de stock das unidades sanitárias; 
  • alívio da sobrecarga de tarefas ao pessoal afecto às unidades sanitárias que deixaram de efectuar trabalho duplicado no preenchimento manual dos relatórios para o nível central; e
  • economização de recursos materiais e financeiros, pois com o reporte em tempo real, as unidades sanitárias reduziram significativamente a impressão de papel que também representa redução de custos financeiros. 

Essas melhorias representam uma conquista no processo de gestão de suprimentos médicos no sistema de saúde da Guiné-Bissau traduzindo-se em (1) numa gestão de stock sustentável e (2) numa gestão de stock transparente.

Notícias relacionadas

A capacitação foi realizada nas províncias de Nampula e Cabo Delgado com uma duração de três dias em cada província. Read more
Foi estabelecida, em Fevereiro de 2023, a interoperabilidade entre o Sistema Comunitário do HIV (SIS-C HIV) e o SIS-C nacional Read more
Durante a 8ª ronda de vacinação contra a pólio em Moçambique, que decorreu de 15 a 18 de Junho em Read more